21 de fev de 2018

Gente que inspira a gente | Stephanie Noelle

Foto / Reprodução

Sabe aquela pessoa que você não conhece pessoalmente, nunca falou na vida, mas que você ama, admira muito e se pudesse você colocaria em um potinho? Pois é, nunca havia sentido uma real conexão com o conteúdo de ninguém até que eu encontrei por acaso o canal da Stephanie Noelle no Youtube. Eu acredito demais que quando a gente está procurando respostas para as nossas perguntas interiores, perguntas estas que as vezes inventam de aparecer todas de uma única vez (e causam uma desordem enorme na nossa cabeça), sempre há algo que é colocado no nosso caminho pra fazer a gente refletir e/ou afirmar as coisas nas quais andamos pensando.

Eu comecei minha jornada de auto-conhecimento em 2015, quando aos 45 do segundo tempo eu resolvi ficar em paz com a faculdade e não me amargurar tanto com relação a isso, de lá pra cá, experimentei coisas, cometi erros terríveis que não posso mencionar, mas tudo foi essencial. 2016 foi um ano péssimo, que trouxe pro meu 2017 muitas promessas de mudança que aconteceram da forma como eu esperava, como já mencionei em outros posts aqui no blog. No meio do segundo semestre do ano passado eu conheci o canal da Stephanie, que caiu do céu pra me mostrar que tudo aquilo que eu estava colocando em prática era o certo pra minha vida naquele momento. Apesar de não conhecê-la, sou extremamente grata pelas palavras que apesar de não endereçadas a mim, chegaram no momento certo.

Pra quem não conhece, a Stephanie é jornalista formada pela USP (Universidade de São Paulo), tem 27 anos, mora atualmente em São Paulo e trabalha principalmente com moda. Em seu canal, ela conta suas experiências e aborda temas como amor-próprio, feminismo, insegurança e relacionamentos. O conteúdo é extremamente pessoal, e é justamente o que faz com que nós tenhamos a sensação de proximidade e identificação. Abaixo listei três vídeos dela que eu assisti e que simplesmente amei, e é claro, não poderia deixar de recomendar pra vocês!

1




Em algum momento dos meses anteriores eu decidi não ser tão dependente emocionalmente das outras pessoas, o sentimento de solidão sempre foi algo que me deixou muito pra baixo, eu sempre precisei ter amigos/namorado/família pra estar do meu lado pra que eu me sentisse completa e feliz. Depois que eu decidi desenvolver um relacionamento muito melhor comigo mesma, o fato de que eu não tenho ninguém em muitos momentos pra pedir opinião, pra contar algo, pra sair, não me deixa nenhum pingo mal, e esse vídeo fala exatamente disso, que não há nada errado em estar só, em não ter uma super amizade ou um super relacionamento onde você fica grudado 24 horas por dia com a pessoa, afinal não é o outro que tem que a obrigação de me fazer feliz, essa obrigação é única e exclusivamente minha.

2




Eu nunca vou esquecer do dia em que eu sofri assédio, e tive que ouvir da boca de uma pessoa conhecida que já que eu não usava aliança, se o cara tivesse feito muito mais do que fez, eu não poderia reclamar. Doeu demais ouvir isso, principalmente por que essa é uma lei que de fato vigora na nossa sociedade, somente a mulher casada e/ou compromissada merece respeito, por que ela tem um homem do lado, as solteiras não, tem que aguentar todo o tipo de cantada masculina. Acho que aceitar esse tipo de comportamento já passou, nós não temos que aguentar caladas esse tipo de coisa não, e exigir respeito mesmo assim como a Stephanie fez nesse vídeo que vale muito a pena ser visto.

3




Quem aí já se sentiu perdido? Logo depois que eu entrei na faculdade eu constantemente me sentia assim, ao mesmo tempo que eu não estava fazendo a faculdade dos meus sonhos, a minha família tentava me acalmar dizendo que eu deveria ser grata por que a partir daquele curso que eu já estava inserida, eu ia conseguir me sustentar no futuro. Eu ficava o tempo inteiro me perguntando como eu seria feliz no meio disso tudo, hoje em dia eu percebo que o fato de eu não ter uma vida cheia das realizações que eu tanto almejo não significa necessariamente que eu fracassei. Passei a ver que tudo o que a sociedade espera de nós jovens, é fruto de uma grande idealização que nós não temos a obrigação de atender. A opinião da Stephanie nesse vídeo é bem parecida com a minha hoje em dia, a nossa felicidade não deve ser pautada no fato de que tudo vai dar certo o tempo inteiro, não é ausência de medo, de dúvidas, de perguntas, nós temos que aprender sermos felizes no meio desse temporal todo que é a vida, que acima de tudo inclui fracassos e derrotas.

Gostaram dos vídeos que eu indiquei? O que acharam do canal da Stephanie? Não saia sem comentar, vou adorar saber a sua opinião! Quer sugerir um tema de post para este blog? É simples, basta clicar ali em cima na aba CONTATO e preencher o nosso formulário, vou adorar ler e atender a sua sugestão ♥

Beijo da Mana dos Pitacos 

Nenhum comentário:

Postar um comentário