Filme A bela e a fera | Resenha + Reflexão

Algumas lições sobre amor e empoderamento


Foto / Reprodução

Hoje eu vim falar pra vocês do live-action de A Bela e a Fera que eu tive a oportunidade de assistir no cinema no mês passado com uma amiga e que eu estava com uma super vontade de assistir devido a quantidade de comentários nas redes sociais sobre o filme. Já começo dizendo que eu amei apesar da quantidade enorme de criticas que eu li em outras resenhas, e não gostei somente por que a Emma Watson estava no filme e por ela ser linda (o que conta bastante) mas por que além do filme ser mágico, o enredo ainda nos remete a questões sobre empoderamento feminino e algo que poucos entendem a respeito do amor: que ele acontece de formas variadas e principalmente que ninguém é dono de ninguém. 

- Ficha Técnica - 
Título: Beauty and the Beast (original)
Lançamento: 2017
Diretor: Bill Condon
Elenco principal: Emma Watson, Dan Stevens, Luke Evans e Kevin Kline
Censura: Livre
Gênero: Fantasia, Musical
Origem: EUA

Sinopse: Moradora de uma pequena aldeia francesa, Bela (Emma Watson) tem o pai capturado pela Fera (Dan Stevens) e decide entregar sua vida ao estranho ser em troca da liberdade dele. No castelo, ela conhece objetos mágicos e descobre que a Fera é, na verdade, um príncipe que precisa de amor para voltar à forma humana. (Filmow)

Vou direto ao ponto principal, que foi o que mais gerou bafafá e curiosidade a respeito da produção, a escolha da atriz principal que foi a Emma Watson para o papel da Bela, e sim quando eu pensei em assistir o filme o principal motivo era ver a performance da atriz que na minha opinião não deixou nada a desejar, ela soube passar a força e delicadeza da personagem, o que na minha opinião é um tanto quanto difícil e principalmente o empoderamento que a personagem demonstra, a Bela não é apenas bonita, ela é inteligente, quer conhecer as possibilidades da vida e as suas perspectivas vão muito além do matrimônio o que a torna uma personagem a frente da sociedade retratada.

Devido a história ser um clássico, acredito que houve um trabalho muito minucioso pra agradar os fãs dos contos de fadas e apesar de muitos não terem achado o filme a altura do clássico, o filme foi bem fiel ao enredo e soube passar não somente a história mas uma série de lições e sentimentos contidos nela que vão além da leitura das poucas páginas do conto infantil, em nenhum momento estou desmerecendo a leitura afinal sempre sou aquela que acha o filme melhor que o livro mas foi incrível ver o olhar dos personagens, a mudança que eles passam com relação um ao outro e como eles chegaram ao resultado final que é o tão famoso felizes para sempre.

Outra coisa interessante quando se trata de empoderamento é que nessa história em questão é a mocinha quem salva o mocinho, uma inversão de papéis interessante já que em muitas histórias a mulher é sempre o ser em perigo que será salvo das garras do mal e o melhor é que em nenhum momento o fato dela salvá-lo o torna inferior ou fraco, a força dele é inegável e aparente mas nos mostra que para um relacionamento dar certo exige-se sacrifícios de ambas as partes e é cada vez que um salva o outro a sua maneira que torna o elo entre duas pessoas ainda mais forte. Por muito tempo acreditei que a história da Bela e a Fera se referia apenas a questão de não ligar pra aparência exterior mas eu definitivamente me enganei, é muito mais que isso, é ver acima de tudo o interior das pessoas e saber extrair delas o melhor, é não julgar de forma precipitada ou deixar que os julgamentos precipitados que os outros tem de quem somos afete a nossa saúde emocional. 

Uma das partes mais marcantes do filme também é quando a Bela pede para que a Fera a deixe ir e que ela deixe de ser uma prisioneira, no momento em que ele permitiu (e abriu mão de se tornar um príncipe novamente para que ela se sentisse livre), uma das maiores lições deixadas com o gesto singelo é que por melhor que uma relação seja, assim como eram perfeitos os dias que eles estavam vivendo, não podemos aprisionar o outro afinal na vida moderna o que mais vemos por aí é isso, pessoas querendo aprisionar outras pessoas em nome do amor. Quando a Bela retorna a teoria é confirmada pois chegamos a conclusão de que não há nada melhor do que dar a liberdade a alguém e ela ver que não importa pra onde ela vá, ela tem um lugar para retornar.

O filme impressiona pela riqueza de detalhes e sim, eu achei a fotografia do filme encantadora. Como todo bom filme de contos de fadas tem que ser musical, a produção trouxe uma trilha sonora que não incomoda ou corta o ritmo do filme, muito pelo contrário, achei que as musicas ficaram bem harmoniosas, tornando o resultado ainda mais bonito e o melhor, vem pra nos mostrar também que o amor pode acontecer de diversas formas e com quem menos esperamos. Super recomendo para aqueles que gostam de filmes de contos de fadas, com histórias de amor incomuns e é claro com a cantoria típica dos musicais.

Já assistiram essa nova versão do conto A Bela e a Fera? O que acharam? Pretendem assistir? O que acharam das lições que eu tirei do filme? Não deixe de comentar adoro saber a opinião de vocês ♥

Beijos da Mana 

Pin It
0

Nenhum comentário:

Postar um comentário